Pesquise neste Blog

Carregando...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Livro: Daniel e Letícia Falando Sobre Aids


Letícia é uma menina curiosa e solidária, amiga de Daniel, um menino soropositivo que tem seus sonhos para quando for adulto. Em suas conversas vão esclarecendo dúvidas sobre como é a doença e suas formas de contágio e assim fortalecem sua amizade.  Em entrevista no site da Unicef Kids uma das autoras, a psicóloga Elisabete Franco conta que o livro é uma forma de propiciar uma conversa sobre o o hiv, aids, a convivência com a doença e seus portadores. Quebra barreiras e preconceitos oferecendo respostas às crianças para as perguntas  difíceis de serem abordadas pelos adultos. Tem  mérito em desenvolver nos pequenos o respeito à diversidade e solidariedade. O livro produzido em parceria com a Casa Siloé e Grupo de Incentivo à Vida  é recomendado pelo Ministério da Saúde.

Autores: Elisabete Franco Cruz, Inês Silva dos Santos, Marcel Krocoscz, Nair Brito e Sônia Rodrigues.
Daniel e Letícia Falando Sobre Aids, 32 páginas.
À venda na loja virtual da Editora Ave Maria
Gênero: Infanto-Juvenil

terça-feira, 16 de março de 2010

Artes Plásticas - Última Ceia, por Damien Hirst [Last Supper]

  Em Last Supper, em português: Última Ceia, o artista britânico Damien Hirst lança um alerta sobre o uso indiscrimado de remédios em nossa sociedade e o fez transformando imagens de caixas de medicamentos em "cápsulas de comida" criando uma série de 13 quadros retratando por exemplo 'comprimidos de salada' e de 'sanduíche' (à esquerda e a direita, respectivamente).
  Atente para os nomes abaixo dos nomes fantasia que indicam do que se tratariam os medicamentos: Lamivudina e Saquinavir. Ambos fazem parte do tratamentos contra Aids. 

Veja toda a série Last Supper

Lançamento: 1999




terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Filme: The 24th Day


Produção independente americana que adota uma fisionomia inesperada para o tema HIV. Este Triller de suspense consagrado em Hollywood mostra-nos o encontro entre o metrossexual Tom (Scott Speedman) e o aspirante a cineasta Dan (James Marsden). Tom convida Dan para o seu apartamento e confidencia-lhe sobre o relacionamento fugaz que manteve no passado com um soropositivo que o infectou. Tom acredita que Dan foi esse parceiro. Disposto a vingar-se, aprisiona-o e munido de uma amostra de sangue de Dan, ameaça: se o resultado for positivo, ele morre.
Fonte:Movies Mix G
Lançamento: 2004
Gênero: Suspense
Duração: 1 hora e 36 min

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Artes Plásticas: O Beijo, de Vik Muniz



Cerca de 1.200 pessoas reuniram-se no dia 20 de setembro de 2009 para lutar contra o preconceito e o estigma de quem tem aids. 
  O fotógrafo e artista plástico de renome internacional Vik Muniz fotografou seis mosaicos formados cada um por cerca de 600 soropositivos e solidários à causa. Uma nova imagem surgiu a partir de várias outras pequenas. Essa é a maior característica do trabalho do paulista radicado em Nova York. 
A ação faz parte da campanha do Dia Mundial de Luta contra a Aids de 2009, organizada pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, pelo Centro de Referência e Treinamento de São Paulo e pelo Programa Municipal de DST e Aids de Guarulhos e com o apoio de várias organizações locais. Os voluntários seguraram cartões coloridos para formar imagens de beijos, símbolo universal do amor e da solidariedade. Essa será a primeira obra de Vik Muniz sobre o tema HIV/Aids. O resultado ficará exposto no MASP, Museu de arte de São Paulo. As fotos dos mosaicos foram tiradas no Ginásio Pascoal Thomeu (Guarulhos/SP).


DEPOIMENTOS:


Vilma Moraes de Santos, portadora há 17 anos, moradora de Mogi das Cruzes (SP). Assim que soube do evento reuniu 36 pessoas em sua cidade, batalhou um ônibus e veio com seus colegas participar do beijo de Vik Muniz. “Espero que esta foto sirva para alertar as pessoas sobre a importância de prevenção às DSTs e ajude na luta contra o preconceito”, afirmou a ativista. Vilma nunca imaginou, quando soube de seu diagnóstico, que estaria num estádio com mais de 700 pessoas lutando pelo respeito às pessoas que vivem com HIV/aids.
Jose Sislei, funcionário da prefeitura de Guarulhos, disse que a luta contra a aids é algo que deve ser feito constantemente.

 José Aparecido do Senhor, 20 anos de HIV e morador de São Caetano (SP) também quis muito e conseguiu participar da foto. “Este evento é muito importante para nossa vida. É um encontro maior de celebração em que a união faz a força e juntos podemos mudar a história.”
 Alessandro Rodrigues, 6 anos de HIV e também de São Caetano, espera que por meio da arte as pessoas possam mudar a concepção da doença. “Hoje todos somos vulneráveis ao HIV. Quero que a obra de Vik ajude na luta contra a doença.” Para ele, a obra é muito importante para a autoestima dos soropositivos. “Não sou um soropositivo coitadinho, eu estou aqui rindo, pulando e mais do que tudo estou vivo!”

"Eu, Marcos, como participante (sic) da foto do Vik Muniz e como pessoa vivendo com o HIVAIDS há 13 anos, sei como é difícil de lidar e vejo que muitos que hoje descobrem que tem o hiv (sic) sabem que é dificil. Hoje eu estou bem mas passei por muita coisa com a doença, medicação... enfim devo dizer que tenho HIV e (sic) convivo muito bem com isso.
 Trabalho em uma ong/aids na região de São Miguel Paulista e luto a cada dia para quebrar o preconceito que mata mais que a própria doença. Não quero que tenham pena ou digam que sou um coitado, o que eu quero é somente  respeito como qualquer outro cidadão."
Depoimentos da reportagem de Marina Pecoraro na Agência de Notícias Sobre a Aids, publicada em 20.09.2009
Lançamento: 2009

Filme: Histórias Posithivas

O documentário Histórias Posithivas  é dividido em 13 capítulos que oferecem informações úteis para a melhoria da qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV e aids. Além disso, os vídeos mostram que soropositivos podem trabalhar, estudar, praticar esportes, namorar e levar uma vida normal, como todo mundo. O material é destinado aos Serviços de Atenção Especializada em Aids – SAE – mas pode ser exibido em outros locais como salas de espera de serviços de saúde, consultórios, universidades, escolas, presídios, etc. Produzido em parceria entre Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em parceria com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e Unesco.

Lançamento: 2009
Gênero: Documentário

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Filme: Um Ano Sem Amor [Un Año Sin Amor]


Em Um Ano Sem Amor o tique taque constante representa a contagem regressiva na vida de Pablo (Juan Minujín), um escritor gay afligido com a AIDS. Baseado na história real do escritor Pablo Pérez o roteiro para o cinema foi feita por ele e pela estreante diretora Anahí Berneri.
  Nesta história intrigante o escritor decide sair da rotina nem tão confortável da casa que divide com a tia (Mimí Ardu) mentalmente instável e do hospital onde recebe tratamento para explorar o submundo do sexo em Buenos Aires. Primeiramente buscará cinemas pornôs e mais tarde clubes de sadomasoquismo onde ele se envolverá com Martín (Javier Van de Couter), o que aumentará seu desejo de manter-se vivo. Durante sua peregrinação em busca de companhia Pablo se defrontará com problemas como a dependência finaceira do pai e a loucura cada vez mais próxima de sua tia.

Lançamento: 2005 (Argentina)
Gênero: Drama
Duração: 1 hora e 35 min
Destaque: Vencedor de prêmios de melhor filme GLBT, inclusive no Festival do Filme Gay e Lésbico de Nova Iorque

domingo, 27 de dezembro de 2009

Revistas: Colors Magazine especial AIDS/HIV


A edição especial da revista Colors Magazine nº 67 , que pode ser lida online em inglês, foi criada pela marca Benetton (de roupas e acessórios entre outros produtos) e traz reportagens especiais sobre o HIV/AIDS realizadas em países de todo o mundo tais como: Uganda, Reino Unido, India, Alemanha, África do Sul, Estados Unidos, entre tantos outros.
   Tem entrevistas com soropositivos, pessoas que lidam com HIV/AIDS ou que tem um ponto de vista interessante para compartilhar sobre o assunto. Vale saber o que pessoas de diferentes culturas estão falando e fazendo (ou infelizmente deixando de fazer por falta de informação adequada) a respeito desta epidemia mundial.
  Fica óbvio através da leitura das matérias que nenhuma diferença de gênero, idade, etnia, religião ou preferência sexual pode tornar alguém imune ao contágio com o vírus hiv.

Lançamento: (para leitura online) 2006 (EUA)
Gênero: Reportagem

Séries: Kami, a Marionete hiv+ de Vila Sésamo


  Kami é uma marionete soropositiva do seriado Takalani Sesame, na versão da África do Sul para a série de televisão Sesame Street, que também teve sua versão brasileira, a Vila Sésamo.
  Ela estreou no programa em 2002, como uma idéia de tratar da questão onde a doença é hoje uma epidemia e seu papel é remover o estigma daqueles que convivem com o hiv.
  Na série, Kami (cujo nome significa "Aceitação", em Setswana) tem 5 anos e de acordo com seu pai se contaminou com uma transfusão de sangue e perdeu sua mãe para o hiv/Aids. Kami demonstra aos telespectadores como lidar com os sentimentos de se perder alguém querido, de uma maneira que crianças possam compreender. E já que cerca de 30% dos lares sul-africanos não tem televisão, foi lançada uma versão do programa para o rádio.

Lançamento: 2000 (África do Sul)
Gênero: Infantil
Duração: 30 minutos por episódio
Destaque: Kami foi nomeada embaixadora da UNICEF para crianças e já conversou com grandes figuras como Nelson Mandela e Bill Clinton.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Filme: Basta um Dia


Lançado pela ABIA – Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids, do mesmo diretor de Borboletas da Vida, Vagner de Almeida, o documentário Basta um Dia aborda a vida de travestis e homossexuais da baixada fluminense que, entre a coragem e o medo, tentam, muitas vezes sem sucesso, sobreviver à dura realidade de violências impostas ao seu cotidiano. 





Lançamento: 2006 (Brasil)
Gênero: Documentário
Duração: 40 min

Filme: A Closer Walk




Um panorama caótico da epidemia da Aids é mostrado nesse documentário dirigido por Robert Bilheimer, narrado pelos astros Glenn Close e Will Smith. As câmeras passeiam pela África mostrando o drama de crianças órfãs e o descaso da saúde pública em países pobres. Circulam por nações da Europa central, onde drogados compartilham seringas infectadas, e enfocam, na Índia, a tragédia de soropositivas contaminadas pelos próprios maridos.



Há entrevistas com pacientes, médicos, enfermeiros, além de depoimentos do Dalai Lama, do pop star Bono Vox e do secretário-geral da ONU Kofi Annan.


O objetivo é um só: alertar que a Aids, a pior epidemia da história, ainda continua fazendo vítimas. Está prevista a continuação do filme abordando a resposta de outros países de combate à Aids, inclusive a brasileira.


Lançamento: 2003 (EUA)
Gênero: Documentário
Duração: 1 hora e 25 min